Mundo Pequeno


Aulas de História baseadas no Currículo minimo - 2º ano médio

Aula nº 1 do 1º bimestre:

O pensamento iluminista:

Você sabia que existiu um período chamado de “século das luzes”? Esse período não foi chamado assim à toa. As “luzes” eram uma referência aos novos ideais daquele período, o século XVIII.

O século XVIII foi chamado de “século das luzes” porque foi uma época quando muitos filósofos pensaram a sociedade em que viviam e através das suas ideias pretendiam “iluminar” a política e a sociedade daquela época. Esses filósofos eram europeus que tinham críticas à estrutura que mais tarde foi chamada de “Antigo Regime”. Essa estrutura era o absolutismo, quando o Rei era quem dominava a política e também a economia, prática chamada de Mercantilismo. Esses também defendiam maior liberdade política, econômica e religiosa, algo muito longe de existir naquele período.

O conjunto de ideias defendidas por esses pensadores ficou conhecido como liberalismo ou pensamento liberal. O liberalismo defendia, como o próprio nome sugere, maior liberdade dos indivíduos na sociedade. E essa liberdade abrangia a política, a economia e a religião.

A “luz” fazia referência à “razão”, capacidade dos seres humanos para conhecer, compreender e julgar. Os intelectuais iluministas tinham como ponto em comum nas suas teorias a defesa da razão. Dentre outras coisas defendiam também a liberdade de expressão, a criação de mais escolas, igualdade jurídica e a divisão dos poderes. Esse último ponto era contra o Rei, absolutista, que reunia todos os poderes.

Na França essas ideias ficaram conhecidas também como ilustração e por isso o século XVIII foi de profundas mudanças na forma de ver a sociedade e o papel do homem nela.

É importante conhecer um filósofo iluminista cujas ideias tiveram repercussão não só na Europa, mas em outros países e até atualmente. O filósofo que defendeu a divisão dos poderes foi o Barão de Montesquieu (1689-1755) no seu livro O espírito das leis. Nessa obra, o filósofo defendia a separação dos poderes do Estado, ou seja, não poderia ser concentrado tudo nas mãos de uma única pessoa, no caso, o Rei. Segundo Montesquieu, os poderes deveriam ser divididos em três:

Legislativo: responsável por fazer as leis.

Executivo: quem executa as leis.

Judiciário: responsável por verificar se as leis estão sendo executadas.

Com essa divisão, cabia ao Rei o papel de executar as leis e não mais fazê-las. Para Montesquieu, isso evitaria o abuso dos governantes e protegeria a liberdade individual.

 

Fonte: Currículo mínimo (Seeduc)



Escrito por adelirosouza às 20h53
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
Histórico


Votação
Dê uma nota para
meu blog



Outros sites
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis